Estudo mostra que Brumadinho é a cidade com maior número de conflitos envolvendo a mineração

Publicado em

A cidade de Brumadinho (MG) detém a infeliz distinção de ter a maior concentração de conflitos relacionados à mineração no país.

Um amplo estudo realizado pela Universidade Federal Fluminense (UFF) identificou um total de 30 incidentes, a maioria deles diretamente ligados à tragédia devastadora que se desenrolou há cinco anos atrás, quando a barragem de propriedade da mineradora Vale, em 25 de janeiro de 2019, resultando na perda de 272 vidas, extensa destruição ambiental e profundas repercussões para as comunidades locais nas áreas circundantes.

Saiba mais sobre o estudo da UFF e os números de Brumadinho

No mês passado, o Relatório do Conflito Mineiro no Brasil foi publicado como um esforço colaborativo entre o Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Contra a Mineração e a UFF, liderado pelo geógrafo Luiz Jardim Wanderley, professor da universidade.

Conforme os dados levantados pelos pesquisadores da UFF, na comparação com 2021, houve em 2022 um aumento de 22,9% no total de localidades com conflitos envolvendo a mineração.

Ao longo do ano passado, foram registradas 45 mortes relacionadas com a atividade minerária. Além de Brumadinho, os estados que mais concentraram localidades com ocorrências foram Minas Gerais (37,5%), Pará (12,0%) e Amazonas (7,4%).

No total, o relatório contabilizou 792 locais e 932 incidentes de conflito envolvendo mais de 688 mil pessoas. Mais de 90% dos conflitos envolvem disputas por terras ou recursos hídricos. Os minérios mais comuns são o minério de ferro (40,1%) e o minério de ouro (26,3%).

O relatório também lista empresas ligadas ao conflito. A Vale liderou a lista com 115 acidentes, respondendo por 24% do total. Nos casos de garimpo ilegal, foram mapeados 270 conflitos, sendo os povos indígenas o grupo social mais afetado. Foram vítimas em 31,9% desses incidentes.

O relatório aborda sistematicamente os conflitos nas zonas rurais e urbanas em Brumadinho e outras regiões. O mapa inclui dois casos envolvendo mineradoras e grupos que exploram a mineração ilegal. Os registos variam: perda de vidas, deslocamento forçado, stress e ameaças.

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...