IPEA e Ministério de Minas e Energia divulgam estudo sobre a participação da mineração no PIB do Brasil

Publicado em

 

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Ministério de Minas e Energia (MME) lançaram, nesta quinta-feira (21), o estudo “A extensão da cadeia produtiva da economia mineral no PIB brasileiro”. A pesquisa, como o próprio nome sugere, destaca a importância da cadeia produtiva da mineração no produto interno bruto (PIB) brasileiro.

O estudo mostra que a cadeia produtiva da economia mineral variou entre 2,5% e 4% do PIB brasileironas últimas décadas. Tal variação representou um valor estimado de R$ 150 bilhões e R$ 340 bilhões, na cotação da moeda brasileira em 2021.

A mineração de ferro e a siderurgia são grandes destaques da economia mineral brasileira, tanto pela ótica do PIB quanto pela força de arrasto produtivo. Nos últimos anos, conforme os dados do estudo, a importância da mineração de ferro aumentou, enquanto a importância da siderurgia caiu. A demanda final incidente sobre a manufatura, a construção civil e a própria extração mineral são os maiores vetores de ativação da produção econômica da cadeia produtiva da economia mineral, ainda de acordo com o levantamento.

Metodologia utilizada pelo Ipea

O levantamento está no âmbito das ações decorrentes do termo de execução descentralizada firmado entre o Ministério das Minas e Energia e o Ipea. O objetivo é mapear e diagnosticar o setor de mineração brasileiro.

Conforme divulgado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), o estudo apresenta uma metodologia de mensuração da cadeia produtiva que abrange desde a extração de minerais até o processamento, distribuição e utilização de produtos finais. Além disso, destaca os desafios à mensuração da cadeia produtiva, devido à complexa interconexão entre setores. No contexto da mineração brasileira, a existência de números e metodologias divergentes geram debates frequentes entre entidades de classe, órgãos governamentais e sociedade civil. Essas discrepâncias de dados, por exemplo, motivam uma preocupação nas discussões públicas sobre políticas de crescimento econômico e proteção ambiental.

A adoção de uma metodologia de cálculo mais criteriosa possibilitou avaliar o impacto do setor da mineração na economia brasileira, desde a atividade de mineração até a transformação mineral. O levantamento baseou-se em avanços recentes da técnica de Matriz Insumo-Produto (MIP) para calcular o PIB da economia mineral, consolidando não apenas uma visão abrangente sobre sua cadeia produtiva, mas também uma metodologia aplicável a outras cadeias produtivas do Brasil.

“O papel de um setor produtivo na economia de um país é tradicionalmente avaliado pela sua contribuição para o PIB. Contudo, quando se trata da análise de cadeias produtivas, a abordagem convencional do cálculo do PIB precisa ser ajustada para capturar a complexa interconexão entre diferentes setores, e o conceito de ‘arrasto produtivo’ permite capturar a parcela do PIB de todo o restante da economia que foi gerada pelas atividades econômicas de extração e transformação mineral eliminando o problema de dupla contagem”, avalia o especialista em políticas públicas e gestão governamental, Rafael Leão. Ele é um dos autores da pesquisa.

O secretário Nacional de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do MME, Vitor Saback comentou sobre a importância do estudo: “A partir de agora, temos um método para fazer o levantamento centralizado dos dados para o setor mineral. Isso é fundamental para nossa base de dados e, para interpretar os números que temos no Brasil e, com eles, encontrar e solucionar os gargalos, visando sempre uma mineração social, sustentável e segura”.

 

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...