Após 30 anos, EUA retiram uma barreira comercial para o aço brasileiro

Publicado em

Depois de mais de 30 anos, os Estados Unidos retiraram barreiras comerciais à produção ao aço brasileiro. O país suspendeu as tarifas sobre os tubos soldados.

Agora, o aço brasileiro não pagará mais a sobretaxa de 103,4% ao entrarem no mercado norte-americano. Os direitos antidumping em vigor desde 1992 foram revogados pela Comissão de Comércio Internacional dos EUA.

Geraldo Alckmin diz que a decisão irá impulsionar as exportações do aço brasileiro em 2024

Segundo o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio e vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, a decisão ajudará a impulsionar as exportações brasileiras em 2024. “É uma conquista importante que vai expandir ainda mais a exportação siderúrgica de tubos de aço para os Estados Unidos”, disse Alckmin ao anunciar o superávit recorde de US$ 98,8 bilhões na balança comercial no ano passado.

Conforme permitido pela Organização Mundial do Comércio, as leis anti-dumping aplicam-se quando um país alega que um concorrente está a produzir bens abaixo do custo, criando assim concorrência desleal para os produtos do país. Para retirar a sobretaxa, o país sancionado deve provar que a empresa não exportou a mercadoria abaixo do custo.

Com a exclusão do Brasil, os Estados Unidos continuam sobretaxando os tubos soldados de aço não ligados (não produzidos em forma de liga) dos seguintes países: Índia, México, Coreia do Sul, Taiwan e Tailândia.

Brasil exportou em 2023 aproximadamente US$ 22 milhões de tubos de aço

Em 2023, as exportações de tubos de aço soldados do Brasil eram de aproximadamente US$ 22 milhões. Desse montante, apenas US$ 457 mil do aço brasileiro foram destinados aos Estados Unidos, ou cerca de 2% do valor.

Se levarmos em conta toda a indústria siderúrgica, o país vendeu cerca de US$ 1,8 bilhão em produtos de ferro fundido, ferro ou aço no ano passado, dos quais US$ 332 milhões foram vendidos ao mercado norte-americano, respondendo por 18% das exportações das empresas brasileiras neste país. campo.

Segundo o MDIC, a diferença nas participações de mercado (entre 2% e 18%) aponta para a possibilidade de derrubada das medidas de comércio exterior do Brasil.

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...